11.9.15

Há dias assim...




 Há uns tempos estava a filosofar sobre a passagem dos dias e uma amiga falou-me de um livro infantil, que o filho tinha, que se chamava "Um livro para todos os dias".

Um dia destes encontrei-o numa livraria e fiquei rendida, teve de vir comigo para casa. E não, não é para a minha filha, é mesmo para mim.

É tão, tão simples mas tão terapêutico e delicioso, que ganhou um lugar permanente na minha mesa de cabeceira. Passou a ser a minha Bíblia, um balão de oxigénio para os dias difíceis.




 

"Há dias tão grandes que parecem um mês inteiro. Há dias que passam num abrir e fechar de olhos.

Há dias para esquecer. Há dias para lembrar.

Há dias simples. Há dias, meu Deus, que são uma confusão.

Há dias em que só pensamos no futuro. E dias em que temos saudades de quase tudo.

Há dias reais. Dias irreais. E dias surreais. (...)
Há dias e dias. E dias que não são dias.

Há dias que deviam durar para sempre.

Há dias que já lá vão. Há dias que nunca mais chegam.

Há dias em que contamos os dias para as férias. (...)"

3 comentários:

MAG disse...

É lindo e dá esperança! Ensina-nos a sobreviver aos maus dias e a lembrar que melhores virão :-) Beijinhos

MAG disse...

É lindo e dá esperança! Ensina-nos a sobreviver aos maus dias e a lembrar que melhores virão :-) Beijinhos

Sílvia Maria Barros disse...

Gostei imenso. Fiquei curiosa, vou ver se o encontro. Obrigada pela partilha