28.7.16

O Verão e a obsessão com as dietas

No Verão, não se aguenta o mulherio todo só a falar de dietas.
Esta deve ser mesmo a única dieta em que acredito.



"Pequenas mudanças que podem fazer toda a diferença

Perder peso pode parecer um pesadelo, mas se fizer algumas alterações no seu dia-a-dia pode estar a preparar o caminho para perder 10 quilos ou mais.
A revista Women’s Health fez uma lista com as mudanças que deve fazer para alcançar um peso saudável:
1 - Definir um plano a longo prazo
2 - Começar pelo essencial e só depois passar para os pormenores (exemplo: comece por comer mais vegetais e elimine alimentos processados e açucarados. Só depois deve explorar as alternativas mais específicas)
3 - Não ficar obcecado com a balança
4 - Adotar hábitos que ajudam a perder peso (exemplo: não usar o elevador e andar enquanto fala ao telefone)
5 - Cortar calorias progressivamente
6 - Levantar pesos
7 - Amar o seu corpo (ter a autoestima em baixo não o vai ajudar em nada)"


Fonte: Jornal I online

27.7.16

A árvore das chuchas


A Árvore das Chuchas - Quinta Pedagógica dos Olivais, Lisboa



Ontem foi um dia histórico cá em casa: tirei a chucha à minha filhota. Ela tem 2 anos e meio e andava completamente viciada, se pudesse andava todo o dia com a chucha. Tomei coragem e escondia-a. Pensei em fazer gradualmente, comecei por explicar-lhe, comecei a prepará-la mas não estava a resultar, não ligava nenhuma. Coloquei limão na chucha, nada. Disse que era para bebés, nada.

Ontem tomei coragem e puff....desapareceu. Entre justificações como "perdemos a chucha", o "monstro levou-a", a que colou melhor ainda foi que a "chucha" está na Árvore da Quinta Pedagógica dos Olivais e que ela conhece tão bem, porque todas as semanas lá vai.

Mesmo assim foi difícil, houve muita choradeira. Cortou-me o coração...mas teve mesmo de ser.


Quanto à Árvore, penso que a ideia foi importada da Noruega, onde as chuchas são penduradas em árvores de jardins públicos e acompanhadas por cartas de despedida, numa espécie de ritual de passagem, e assim as crianças podem sempre ir visitá-las quando tiverem saudades. Na maioria dos casos são os próprios miúdos que colocam na árvore como processo de emancipação mas no meu caso não foi possível, mas acho que é uma óptima sugestão.



19.7.16

Volta ao mundo em 193 livros



http://voltaaomundo193livros.blogspot.pt/

E para arrumar toda a informação sobre o desafio de ler um livro por cada país do mundo, criei o blog Volta ao mundo em 193 livros.

Vamos ver se consigo ir atualizando os 2 blogues.




24.6.16

Levar os miúdos à praia...quem me ajuda?

Quem me ajuda a levar as crianças do Bairro 6 de Maio, na Amadora, à praia?

Crianças que nunca saem do bairro, que os pais não conseguem levar.

Eu já contribui...Há algo mais reconfortante que ouvir uma gargalhada de uma criança a mergulhar no mar, a correr, a fazer castelos de areia?


O "Sabura na Praia" é um projeto que se destina a todas as crianças das valências creche,
pré-escolar e mediateca e a crianças/adolescentes da Comunidade com
idades compreendidas entre os seis e os quinze anos. Os jovens com idade superior a dezasseis anos,
que demonstrem sentido de responsabilidade, participam também na Colónia
de Férias, como monitores dos grupos.


Objectivos Gerais:

- Envolver e promover o intercâmbio entre crianças, adolescentes e jovens;

- Criar parcerias com entidades de ensino para o encaminhamento de adolescentes;

- Proporcionar saídas ao exterior;

- Promover as relações interpessoais;

- Promover o respeito por regras e a responsabilidade;

- Promover hábitos de vida saudáveis;

- Promover momentos formativos.


Esta atividade é apenas uma das muitas que constituem o excelente trabalho do Centro Social 6 de Maio dirigido por uma Comunidade de Irmãs, as Missionárias Dominicanas do Rosário.


Podem contribuir e saber mais pormenores no site de Crowdfunding


31.5.16

Desafio literário - Os livros do mundo




Andava eu a divagar pelas TED Talks e encontrei, por acaso, o vídeo da Ann Morgan.

 E logo ali me inspirei e resolvi copiar o desafio. Já que não posso viajar literalmente:
 Vou ler um livro de cada país do mundo

Num dado momento da sua vida a Ann olhou para as suas estantes e reparou que lia essencialmente livros ingleses e americanos. A partir daí resolveu que tinha de abrir os seus horizontes e decidiu que ia ler um livro de cada país do mundo, num ano.

Sendo que os livros que mais gostei de ler na vida, foram exactamente aqueles de países e realidades muitos distantes da minha, resolvi desafiar-me a mim própria, obrigando-me a ler livros diferentes, esperando por isso perspectivas e linhas de pensamento diferentes. 

As minhas regras:
1. Ler livros em português (vai ser muito mais difícil do que o desafio dela que era ler livros em inglês, está tudo traduzido para inglês); 
2. Não tenho limite temporal (193 livros é muito livro e eu tenho uma filha pequena. Vou pôr na lista também livros que li nos últimos anos, para não desanimar); 
3. Vou dar prioridade a autores do país em questão, se não encontrar, passo a livros sobre esse país, independentemente da nacionalidade do autor, tem é de me permitir conhecer um pouco da cultura do país.


 Lista de países ONU:
Afeganistão
África do Sul - "Arquivo Íntimo" de Nelson Mandela
Albânia
Alemanha - "O perfume" de Patrick Süskind
Andorra
Angola - "A geração da utopia" de Pepetela
Antígua e Barbuda
Arábia Saudita
Argélia
Argentina - "Diários de Motocicleta" de Che Guevara
Arménia
Austrália
Áustria
Azerbaijão
Bahamas
Bangladesh - "O banqueiro dos pobres" de Muhamad Yunus
Barbados
Bahrein
Bielorrússia
Bélgica
Belize
Benine
Birmânia
Bolívia
Bósnia-Herzegovina
Botswana
Brasil - "Dona Flor e seus 2 Maridos" de Jorge Amado; "1808" de Laurentino Gomes;
Brunei
Bulgária
Burkina Faso
Burundi
Butão
Cabo Verde
Camarões
Cambodja
Canadá

Cazaquistão
Chade
Chile - "Filha da Fortura" e outros de Isabel Allende
China - "Cisnes Selvagens" de Jung Chang; "A minha vida enquanto imperador" de Su Tong
Chipre

Colômbia - "Cem Anos de Solidão" e outros de Gabriel Garcia Marquez
Comores
Congo
Coreia do Norte
Coreia do  Sul
Costa do Marfim
Costa Rica
Croácia
Cuba
Dinamarca
Djibuti
Dominica
Egipto - "O açucareiro" de Naguib Mahfouz
El Salvador
Emirados Árabes Unidos
Equador
Eritreia
Eslováquia
Eslovénia
Espanha - "A escrava de marfim" de Almudena de Arteaga
E.U.A.- "Lua Nova" de Stephenie Meyer; " A dominação e a arte da resistência" de James C. Scott
Estónia
Etiópia

Fiji
Filipinas
Finlândia
França - "Os olhos amarelos dos crocodilos" de Katherine Pancol
Gabão
Gâmbia
Gana
Geórgia
Granada
Grécia
Guatemala
Guiana
Guiné
Guiné-Bissau
Guiné-Equatorial
Haiti
Holanda
Honduras
Hungria
Iémene
Ilhas Marshall
Ilhas Salomão
Índia - "Comboio para o Paquistão" - Khushwant Singh
Indonésia
Irão
Iraque - "Dividida" de Zainab Salbi
Irlanda
Islândia
Israel
Itália- "Se isto é um homem" de Primo Levi; "A viela da duquesa" de Sveva Casati Modignani
Jamaica
Japão - "Auto-Retrato do Escritor Enquanto Corredor de Fundo" de Haruki Murakami
Jordânia
Kiribati
Kuwait
Laos
Lesoto
Letónia
Líbano - "Origens" de Amin Maalouf
Libéria
Líbia
Liechtenstein
Lituânia
Luxemburgo
Macedónia
Madagáscar
Malásia
Malawi
Maldivas
Mali
Malta
Marrocos - "Sonhos Proibidos - Memórias de um Harém em Fez" de Fatima Mernissi
Maurícias
Mauritânia
México - "Como água para chocolate" de Laura Esquivel
Micronésia
Moçambique - "Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra" de Mia Couto (a ler agora)

Moldávia
Mónaco
Mongólia
Montenegro
Namíbia
Nauru
Nepal
Nicarágua
Níger
Nigéria - "Meio Sol Amarelo" de Chimamanda Adichie
Noruega
Nova Zelândia
Omã
Palau
Panamá
Papua Nova Guiné
Paquistão
Paraguai
Peru - "A festa do Chibo" de Mario Vargas Llosa
Polónia
Portugal - tantos..........
Qatar
Quénia
Quirguistão
Reino Unido - "Harry Potter" de J.K.Rowling; "Dentes Brancos" de Zadie Smith; Jane Austen
República Centro-Africana
República Checa - "A insustentável leveza do ser" de Milan Kundera
República Democrática do Congo
República Dominicana

Roménia
Ruanda
Rússia - "Anna Karenina" de Liev Tolstoi
Samoa
San Marino
Santa Lúcia
São Cristóvão e Névis
São Tomé e Príncipe
São Vicente e Granadinas
Senegal
Serra Leoa
Sérvia
Seicheles
Singapura
Síria
Somália
Sri Lanka
Suazilândia
Sudão
Sudão do Sul
Suécia
Suíça
Suriname
Tajiquistão
Tailândia
Tanzânia
Timor-Leste
Togo
Tonga
Trinidad e Tobago- "Num país livre" de V. S. Naipul
Tunísia
Turquia
Turcomenistão
Tuvalu
Ucrânia
Uganda
Uruguai
Uzbequistão
Vanuatu
Venezuela
Vietname
Zâmbia
Zimbábue

Já li 28...só faltam 165 livros :)

Alguém aceita este desafio?


30.5.16

I'm back



Depois de meses fora da blogosfera (passava só de vez em quando para dar uma vista de olhos rápida aos vossos blogs), voltei...

Um dos meus objetivos do ano era escrever um post pelo menos uma vez por semana, mas desde janeiro que não escrevia. Em dezembro a coordenadora do meu gabinete foi embora, e eu fiquei sozinha com o trabalho a dobrar (e claro...pelo mesmo €€).

Mas agora, passado estes meses, e dado que já era insustentável conseguir garantir um gabinete sozinha, foram fundidas 2 áreas de trabalho e agora já tenho finalmente uma equipa.

Estou a explicar isto, não porque escreva o blog no trabalho, mas para perceberem porque não tinha disponibilidade mental para o atualizar.

Mas agora regressei...e espero que para ficar.


18.1.16

vintage...





Rosa: "Eu sou uma velha!"
Jó: "Não és nada, és vintage!"

 in filme Os gatos não têm vertigens

Muito bom!

4.1.16

Objetivos para 2016

1. Viajar para outro país
2. Ler pelo menos 12 livros
3. Arranjar um novo hobbie
4. Fazer formação (coaching, avaliação de impacto, ...)
5. Começar a meditar (5 minutos por dia para mim)
6. Passear em família
7. Ser paciente e fazer coisas giras com a minha filha
8. Amar e educar a minha filha o melhor que consiga
9. Ter momentos a 2 (ex: hotel e SPA a 2)
10 Criar rituais para a família.
11. Dar mais atenção aos pormenores
12. Ir escrevendo o que de bom acontece comigo ou ao meu redor
13. Sair da minha zona de conforto mas por opção minha
14. Confiar mais nas minhas capacidades
15. Proteger-me e cuidar de mim
16. Saber partilhar melhor os meus sentimentos
17. Ser mais organizada
18. Fazer a "Flor" das competências (livro "de que cor é o teu pára-quedas?)
19. Enviar CV para ver o mercado
20. Escrever no blog semanalmente
21.Fazer um/a novo/a amigo/a
22. Organizar mais encontros com amigos
23. Fazer mais atividades culturais
24. Frequentar workshop de qualquer coisa prática
25. Comer pelo menos 1x/semana comida vegetariana
26. Ir fazer check-up médico
27. Ter mais estilo a vestir
28. Organizar e imprimir álbuns de fotos
29 ....(fica aberto a novas possibilidades)
30. Ser feliz e SERENA


Palavra que irá orientar o meu ano de 2016: SERENIDADE.

31.12.15

Balanço de 2015...







Final do ano e fazemos todos o balanço do ano que passou e começamos a formular objetivos para o ano seguinte. É apenas a continuação do calendário mas acaba por ser a renovação da esperança, que nos dá alento e energia para os meses seguintes, para enfrentarmos a rotina durante mais uns tempos, com o sonho de novas oportunidades.

Apesar de ter feito uma lista de objetivos muito práticos para 2015, mesmo assim só devo ter cumprido metade. Contudo, as melhores coisas do ano são sempre aquelas que não se previram. No entanto, é bom tem um ponto de partida e ficar contente com as pequenas coisas que conseguimos.

A nível profissional foi um ano de crescimento. Adquiri experiência e competências que não tinha. Analisei candidaturas a fundos comunitários (e gostei muito), acompanhei projetos estruturados, aprendi sobre planificação, sobre monitorização de resultados, sobre o poder local. Quase no final do ano, a minha coordenadora saiu e fiquei sozinha. Para 2016 prevejo um declínio da minha serenidade, sei que vão surgir novos desafios embora não sejam os que me interessam. Deixa-me triste a direção que a instituição está a tomar e as prioridades assumidas, que já não vão de encontro às minhas. Neste sentido não tenho esperança de melhoras no futuro próximo. Talvez seja a altura de analisar a minha carreira e ver que rumo tomar, algo que era um objetivo para 2015 e acabei por não fazer por ter sido um ano muito interessante.

A nível familiar, também foi bastante bom. Acompanhei o crescimento da minha filha, sem incidentes pelo meio, muitas gargalhadas e brincadeiras. Ninguém da família morreu ou ficou gravemente doente, o que por si só já faz de 2015 um bom ano. No entanto, surgiram pequenos conflitos mais vezes, devido basicamente ao cansaço extremo. Aprecio as pessoas que conciliam bem todas as esferas da vida e sempre com energia…eu não consigo… concilio o melhor que posso, mas tenho sempre a sensação que precisava de um “red bull”.

O primeiro objetivo da minha lista que era viajar para o estrangeiro não se concretizou…por isso vai continuar na lista para 2016. Preciso mesmo de ver coisas novas, ouvir outras línguas, outras formas de pensar…até para conseguir colocar as coisas em perspetiva e para valorizar o dia-a-dia.

Que plano terá para mim o destino em 2016? Não sei. No entanto, a palavra que escolho para me guiar no próximo ano é SERENIDADE. Sei que vou ter novos desafios e exigências, que me vão fazer ficar ansiosa e no limite, e eu só espero encontrar energia e sabedoria para lidar com tudo. Quero ter força para dizer “Não” quando a situação o exigir, saber expressar os meus sentimentos e manter a minha saúde mental.

E quero paz, e tempo para mim.







13.11.15

Casas de escritores...de Saramago a Pessoa

Na ultima semana tive um dia de folga e aproveitei para passear por Lisboa, algo que já não fazia há muito tempo.

Andei pela Graça, Alfama, e fiz uma paragem estratégica na Fundação José Saramago, na Casa dos Bicos, que tinha vontade de conhecer há muito tempo.

E a visita não desiludiu, está excelente. Conseguimos perceber todo o percurso de José Saramago, de serralheiro mecânico a escritor. Podem espreitar  a autobiografia. Há um destaque a todos os seus livros, o contexto de onde surgiram, o que Saramago disse sobre ele. Há fotos, vídeos, objectos pessoais, várias agendas do escritor. Deu-me imensa vontade de ler mais livros de Saramago. É sem dúvida um dos meus autores preferidos.
Mais informações aqui


O bilhete custa 3€ e, como têm uma parceria com a Casa Fernando Pessoa, se visitarmos esta última no prazo de 10 dias, o bilhete só custará 1€.

Eu aproveitei. À tarde resolvi ir à Casa do Fernando Pessoa, até porque queria passear por Campo de Ourique. No entanto, esta Casa foi a desilução total. Muita pouca informação, quem não conheça Fernando Pessoa fica a saber basicamente o mesmo. Há o quarto onde viveu, que é o que acaba por ser mais interessante, e depois são basicamente computadores com informação...que poderias aceder na net. Havia uma exposição temporária sobre a Revista Orpheu que dominava a casa, mas nada de realmente interessante. Tanta coisa que podia ser feita, explorar os heterónimos, explorar a obra (havia sempre o mesmo poema pela casa toda...apenas 1 quando tinha milhares), o interesse por astrologia,...nada. Pareceu-me que só vale a pena visitar a casa com uma visita guiada.
Mais informações aqui