21.6.11

Dia 3...Vale de Ourika


Marraquexe vive basicamente do turismo e acaba ser um bocado cansativo estar sempre a regatear ou a dizer "Não" a quem te aborda.
Assim sendo, resolvemos ir conhecer a região. Havia excursões para ir ver as cascatas de Ouzoud ou às cascatas de Ourika. No entanto, como o objectivo da viagem era não gastar muito...mesmo à "turista pé-descalço", e como somos meio malucos como algumas pessoas nos disseram, resolvemos alugar uma scooter (20€/dia) e ir para as montanhas. O trânsito de Marraquexe é basicamente 70% motas e 30% carros, logo se os marroquinos andam todos de mota e para todo o lado, nós também conseguimos. É logo toda uma aventura experimentar o trânsito marroquino...em que ninguém respeita os sinais e muito menos os semáforos...mas percebemos que não podemos é hesitar, é andar para a frente e tudo corre bem...

Embora a estrada que percorremos fosse mais para o interior acabou também por ser turistica. Não víamos ninguem, parávamos para tirar fotos e passado 1 minuto já estavam pelo menos 2 gajos ao pé de nós a vender colares e prendas, e saídos sabe-se lá de onde.


Fomos ate ao fim da estradas, até Ourika onde há excursões às cascatas, feitas por guias locais credenciados. Na volta, resolvemos sair da estrada principal e percorrer uma estrada de montanha. Foi aí que vimos um estilo de vida rural e pessoas mais autênticas...montes de miúdos que nos sorriam e nos acenam ao passarmos, pessoas que nos cumprimentam, aldeias berberes, vistas estupendas (inclusive de neve dos picos da montanha ao longe). No entanto, nunca demorei tanto tempo na vida a fazer 20km...

 Algumas fotos a seguir.... (não há fotos de miúdos, não tenho coragem de lhes tirar fotos, também não gosto que me tirem a mim sem perguntarem)

2 comentários:

Estreliña disse...

Começo a roer as unhas dos pés... tive para lá a Marrocos mas dissuadiram-me dizendo que a coisa por esta altura não estava muito segura... Sentiste alguma insegurança?

krasiva disse...

Não...tudo calmo, não notei nada...pelo menos por onde andei...nem manifestações havia.