30.8.16

Minimalismo...




Acho que sempre fui uma pessoa minimalista (antes diria que era "básica" mas resolvi fazer um upgrade seguindo as nova tendências).

Nunca fui pessoa de acumular muito, comparativamente com outras pessoas que conheço, até porque sou um bocado "forreta" e por isso não sou uma consumidora compulsiva. No entanto, sabe-se lá como, continuo a acumular coisas que muitas vezes não preciso, utilizo ou gosto.

Principalmente agora, que tenho uma casa pequena e com pouca arrumação, faz-me confusão não ter onde arrumar as coisas fundamentais, mas ter os armários cheios sabe-se lá de quê.

Pensamos que um dia vamos precisar desse item ou aquele mas depois acabamos por nunca usar.

Talvez por ser setembro dá-me a sensação de ano novo e apetece-me recomeçar o "ano lectivo" com uma vida mais leve e mais simples. Destralhar a casa ajuda a destralhar a alma, mesmo para uma pessoa como eu que nunca foi muito dada à organização e às limpezas.

Por isso, nos próximos tempos, vou simplificar a minha casa e a minha vida, aos poucos, sem radicalismos, sendo um desafio para mim própria mas sem pressões.

Vou criar algumas regras do tipo - se não uso há mais de um ano, vai embora -. Vou largar aquilo que não me dá algum tipo de "alegria" (ler os livros de Marie Kondo) ou utilidade.

Por isso, boa sorte para mim ...


6 comentários:

Catarina H. disse...

Oh, se calhar também sou um bocado minimalista. Ou básica na necessidade de "coisas" :)
E também "forreta". Ou poupada.
Acho que o minimalismo, como chamam agora, ou a capacidade de viver com o essencial, como eu chamo, é o verdadeiro caminho para a conquista da felicidade, da serenidade. Abre-nos os olhos para as coisas importantes da vida, pois deixamos de nos importar com objectos.
Boa sorte nesta nova experiência!
Beijinhos

Teresa disse...

Também procuro ser assim...mas por vezes é difícil. Apego-me às coisas...
Acho que, talvez com o "novo ano" consiga trabalhar este objectivo!

Gata disse...

Eu ando focada em deitar coisas fora! Hoje já deitei três e estou de olho em mais duas... ;)

Agridoce disse...

Boa sorte :) Eu quero ver se faço o mesmo!

Catarina disse...

´Que engraçado ao ler as tuas palavras pensei que se calhar o nome de minimalista até que me assenta bem. Acumular nunca foi comigo e tenho mesmo necessidade de tempos a tempos dar uma geral à minha casa e destralhar . E cada vez mais tenho necessidade de ter menos e ser mais, se é que me entendes??!!
Já li os dois livros da Marie Kondo, a senhora inspira-me tanto!
Beijinhos*

Sara disse...

Há meses que ando na demanda de separar coisas que não uso ou que não gosto! Mas depois de vários sacos entregues, há ainda tanto por fazer!!! Deitar fora por deitar custa-me tanto! Agora que descobri um projecto cá da zona onde vivo para disbribuição de bens, foi com mais agrado que ve li livre de dezenas e dezenas de roupas, calçado e brinquedos! A cozinha foi destralhada a pente fino e as gavetas/armários de casa a mesma coisa :)
É uma paz de espírito agora! Sei onde está tudo o que preciso e sei onde devo arrumar cada coisa ;)
O escritório é o meu calcanhar de aquiles. O que vale é que fecho a porta e não penso mais nisso! A tralha está lá toda... E quando quero destralhar, toca a organizar mais um bocadinho! É que com uma criança a crescer há sempre roupa e brinquedos a entrar e a sair dos armários e para onde vão? Para o escritório :(
Ao contrário de ti, sempre fui um pouco acumuladora. E no escritório tenho dezenas de bens "emocionais" um pouco de cada fase da minha vida que tenho dificuldade em destralhar. Aos poucos vou lá :)